Projeto Reflorestamento Atorã

Devido ao colapso da Barragem de Fundão, o Rio Doce está morto e o povo Krenak perdeu sua principal fonte de água. A única fonte de água potável da comunidade Atorã é a nascente ao lado da casa de nossa matriarca, Djanira Krenak. Entretanto, a nascente está perdendo força e secando.

O projeto visa reflorestar a cabeceira dessa nascente e assim fortalecer o rio. Preciso de ajuda de especialistas parar entender quais as melhores especies de árvores para estimular o lençol freático sem interferir no ecossistema. 

Estou em busca de recursos e parcerias para desenvolver esse projeto. 

Meu email: wakrewa@gmail.com

Minha história

Me chamo Wakrewa Krenak, nasci na cidade de Carmésia mas sempre vivi na Aldeia Indígena Krenak. Hoje tenho 30 anos e sou mãe de três crianças. Sou formada em licenciatura em ciências biológicas o que me permite entender a natureza tando na visão indígena como não-indígena. Assim, sou uma liderança feminina do povo Krenak e uso minha voz para lutar pelos nossos direitos na luta contra a mineração e pela justiça climática. Tenho estudado e buscando conhecimento para conseguir defender os direitos do meu povo. Meu sonho é que minha luta e de todas as mulheres indígenas sejam reconhecidas pelo mundo. 

Sou da comunidade Atorã do povo Krenak, localizada no leste de Minas Gerais. Nossa comunidade é formada por volta de 30 famílias. Nossa cultura é um ciclo sem fim, passada dos pais para os filhos. Na cultura Krenak, existe um elo paternal e maternal com o Uatu (Rio Doce). O Uatu é nosso pai e nossa mãe. Antigamente, nossas crianças eram batizadas nas águas do Uatu, para que o contato com a água crie a primeira conexão espiritual da criança com a natureza. 

WAKREWA KRENAK.jpeg

Infelizmente, após o Crime de Mariana, nossa cultura e nosso povo está fadado a desaparecer. Devido ao colapso da barragem de Fundão, 45 milhões de litros de lama tóxica foram despejados no Rio Doce e matou nosso Uatu. A barragem era responsabilidade da Vale e da BHP. As maiores mineradoras do mundo que permitiram que isso ocorresse por incompetência e ganância. Assim, nossa cultura foi interrompida de maneira que não há mais volta. Não praticamos nossas tradições que foram cuidadosamente preservada pelos nossos ancestrais. Não podemos pescar nem nadar. Minha comunidade está presa em um problema sem solução. O dano ambiental é irremediável e o Uatu nunca mais voltará a ser como era antes. Nossas crianças e as próximas gerações nunca entenderam o significado do Uatu. Estamos perdendo nossa identidade, nossa felicidade e alguns até perderam vontade de viver.

O governo que deveria nos proteger está a todo tempo ignorando nossos direitos. O poder judiciário deveria assegurar a justiça, nos trata como um problema em vez de vítimas. O Ministério Público Federal que deveria tentar resolver esse problema, parece que está do lado das empresas. Os atingidos por esse crime estão à mercê das vontade dessas empresas. Nosso sentimento é de total impunidade. ​Todo dia o crime se RENOVA. O dano cultural e ambiental é permanete, irremediável e irreversível. A única forma de compensar pelos danos é pagando. Enquanto existir um Krenak em nosso território, essas empresas devem pagar por ter matado a cultura do meu povo. Enquanto existir um Krenak vivo, estaremos lutando contra as mineradoras e estaremos lutando por nossa cultura. 

"O dano ambiental é irremediável e o Uatu nunca mais voltará a ser como era antes."
"Enquanto existir um Krenak em nosso território, essas empresas devem pagar por ter matado a cultura do meu povo. Enquanto existir um Krenak vivo, estaremos lutando contra as mineradoras e estaremos lutando por nossa cultura."